“Fantasy&Co: Géneros Literários”, VVAA

capa

O projecto Fantasy&Co celebrou o seu primeiro aniversário, lançando em honra da ocasião um e-book gratuito de contos dedicados a géneros literários. Não sendo possível uma representação de todos os existentes, podemos encontrar Steampunk, Horror, Ficção Científica, Fantasia Urbana, New Weird e História Alternativa.

 “O Homem Voador” (Steampunk), Pedro Pereira: Um inventor, desesperado em conseguir o dinheiro necessário aos medicamentos da mulher moribunda, arrisca tudo na concretização do seu sonho: voar. Essas mesmas asas são o elemento que permitem inserir o conto no género Steampunk – embora este tenha muito mais que se lhe diga, duvido que se consiga encaixar em algo que tem como limite 1500 palavras.

Toda a narrativa se centra na ânsia, esperança e receio do inventor aquando o salto que testará a eficácia da invenção, sendo um conto simples e de fácil acompanhamento.

“A Luz do Vermes” (New Weird), Carina Portugal: Tendo despertado o desagrado da namorada, Rafael vê-se obrigado a passar a noite na rua, na companhia e protecção de um rolo de massa – algo que não parece de grande ajuda quando se acaba numa armadilha com vermes gigantes.

Notei algumas vírgulas a mais, outras mal colocadas, mas no geral encontra-se bem escrito, destacando-se o final, com um “cuidado com as aparências”.

Como não tenho grande conhecimento no que respeita ao New Weird, não saberei dizer se se insere bem, mal ou assim-assim no género a que propõe.

“Vingança é um prato que se serve frio” (História Alternativa), Pedro Cipriano: O assassínio do arquiduque Franz Ferdinand ficou na História como o estopim que desencadeou a Primeira Guerra Mundial. Neste conto, o autor explora as possibilidades caso o atentado ao arquiduque tivesse falhado, permitindo-lhe escapar com vida e assumir o trono do Império Austro-Húngaro.

Sem grandes momentos de acção e centrando-se em diálogos e contextualização pelos mesmos, só no parágrafo final é que temos um desenvolvimento em estilo “resumo narrativo histórico” – que muitas vezes vemos em final de filmes –, onde todas as consequências são expostas.

Tratou-se de uma proposta que necessitava de mais espaço para ser explorada.

[“Creio esta vingança te dará um gosto especial” Creio que esta vingança]

“O medo é a raiz de todos os males” (Horror), Sara Farinha: Uma boa ideia de partida, não tão boa prossecução. Além do excesso de vírgulas, houve algumas escolhas de palavras nas descrições que me pareceram descabidas – o “capacete” da bibliotecária, por exemplo – e um desnecessário alongamento inicial. Como Horror, ficou aquém.

“Máscaras de Pedra” (Fantasia Urbana), Ana Ferreira: Um conto com boa ideia de enredo e boas personagens, que se insere no género pretendido ao mesmo tempo que demonstra um cariz nacional. No entanto, o final pareceu incompleto e julgo que precisa de “esticar mais as asas”. Gostarei de o ver desenvolvido, nem que seja em noveleta.

“Esperança” (Ficção Científica), Liliana Novais: Revolvendo em torno de uma civilização em vias de desaparecer pela morte/extinção(?) do seu planeta/estrela, e, em especial, na convicção esperançosa do narrador em sobreviver, o conto falha na interacção, oscilando entre narração e descrição, numa escrita simplista e algo repetitiva.

Os contos podem ser também lidos no blog: http://fantasyandco.wordpress.com/

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s